O MERCADO E SEUS MEDOS

TEXTO DE MALU AIRES NO FACEBOOK


-MALU AIRES-


Lula tem que tomar mais cuidado com o que diz porque, senão, o Mercado fica verde-amarelo e vai cantar hino em porta de quartel.


Lula tem que escolher melhor as palavras... por exemplo, "teto de gastos" é sagrado. Só um "messias" podia furá-lo para comprar votos e aprovar medidas antipovo.


Lula não pode fazer palanque e falar da fome. Ele não está autorizado a lembrar à imprensa porquê ganhou as eleições.

O Brasil se encontra assim: terra arrasada, com Bolsonaro apagando HD de tudo de tanta falcatrua que tá deixando pro povo pagar. Daqui uns dias, as equipes quebrarão o sigilo da mídia pra estes 4 anos de destruição econômica e estão nervosos.


Foram 4 anos de felicidade e tranquilidade para os "economistas" na TV. Dos absurdos que saíam da boca do governo, eles riam. Fila do osso não era assunto econômico. Ganhava trilha sonora triste e era chamada de "drama das famílias". Não era culpa da política de exportação, da alta do dólar, da inflação, da falta de governo... pra TV era "drama das famílias" e o que o Mercado tinha a ver com isso?



Imagem - Jornalistas Livres

A burguesia encheu Dubai de dinheiro. Dinheiro pra banqueiro e vacina "na casa da tua mãe", anistia pra sonegador, um festival de lavagem de dinheiro no sertanojo, bilhões pra "comprar centrão", bilhões pra comprar votos, cargo fantasma em tudo quanto é ministério, cartão corporativo ilimitado, ponte aérea pra Dubai toda semana, leite condensado, cloroquina, viagra, propina em ouro no MEC, tráfico de madeira, grilagem adoidado, garimpo ilegal, venda criminosa de patrimônio, "orçamento secreto" para notas frias e empresas de fachada, BNDES fazendo a festa pra Micheque, CEF na mão de um tarado, BB e BC servindo de especulação pro banco do Guedes, Petrobras nas mãos de 1 fundo estrangeiro, dólar alto pra agradar quem lava dinheiro, férias, cursos e encontros em Dubai...


Por 4 anos, o Mercado esteve sempre animado.


Toda vez que Guedes dizia: "A economia está bombando", o Mercado soltava rojões e fazia "previsões positivas".


Inflação explodindo... "A economia está bombando".


Desemprego recorde... "A economia está bombando".


Brasileiros entrando na linha da miséria... "A economia está bombando".


Fila do osso... "Não existe fome no Brasil".


E o Mercado comemorando PIB negativo.

O Mercado investiu na mentira. Investiu na fome e na miséria. Apoiou todas as medidas que prejudicaram 113 milhões de brasileiros. E mentiu.


Por 4 anos, demitiu, humilhou, exigiu que o trabalhador desse sua vida para salvá-lo e o enterrou em vala coletiva, sem direito a velório.

O discurso golpista começou.


No dia que os eleitores de Dilma quiseram salvar o Mercado, agradar o Mercado, deixar o Mercado calminho e melhorar as caras mal-humoradas dos telejornais, tomaram um golpe de 6 longos, dolorosos e assassinos anos de antigoverno e antidemocracia.

O Mercado não gosta de Democracia quando ele não compra o candidato.


O Mercado sabota a Economia, quando o governo não é fantoche. Manda o povo buscar emprego "na casa da tua mãe!". Manda o trabalhador virar "empresário" se quiser aumento. Trabalhar de domingo a domingo, se quiser carne.

Que Mercado é esse?Mercado escravo?


Lula está enfurecendo genocidas associados, porque mais de 60 milhões de brasileiros deram a Lula esta missão.

E demos esta missão a Lula, porque a maioria esmagadora de nós não tem a paciência que Lula tem pra enfrentar essa mídia cínica, essa elite nazista.


"Lula tem que falar o nome dos ministros logo, pra gente começar a bater neles..."


Contra a vontade de quem queria mais 4 anos de fome e miséria, o povo brasileiro venceu os perversos.

Agora, eles que nos aguardem.


Se o alimento desse Mercado é a nossa tristeza, nossa alegria vai matá-lo de raiva. Estão preparados?


Mr. Lula prometeu dignidade para o povo brasileiro jantar esse "mercado" da morte, 3 vezes ao dia.

Haja apetite de mudança!

 

MALU AIRES - Artista, Compositora e intérprete.


Publicado originalmente no Facebook da autora



52 visualizações2 comentários