Papa Francisco é petista?

-VALQUÍRIA FERRÃO ANTUNES-



Arte - Aloísio Van Acker

O Papa Francisco emitiu uma declaração afirmando: "Peço a Nossa Senhora de Aparecida que livre o povo brasileiro do ódio, da intolerância e da violência".

Bastou isto para o repórter Josias de Souza chegar à conclusão de que o Santo Padre "quase fez uma declaração de voto contra Bolsonaro". Afinal, invocou o nome da padroeira do Brasil, passadas apenas duas semanas do episódio na Basílica de Aparecida do Norte, quando bolsonaristas entraram no templo católico portando latas de cerveja, gritando slogans em nome de seu líder, agredindo cinegrafistas etc. E não é só, as bandeiras do ódio, da intolerância e da violência são associadas a Bolsonaro. Por isso, conclui: se Francisco fosse brasileiro, possivelmente não votaria no atual presidente.


Na faculdade de jornalismo, aprendemos que um artigo contendo apenas verdades pode muitas vezes encobrir verdadeiros absurdos. O que ouvimos de Josias de Souza foram palavras que naturalizam a barbárie e normalizam o horror. Ao tratar um singelo apelo à paz e à tolerância como se fosse uma declaração pública de tomada de posição político-partidária, o jornalista está simultaneamente deixando aberta a possibilidade de se aceitar a validade de declarações no sentido oposto.


Fato é que, lamentavelmente, muitos católicos votam em Jair Bolsonaro e não acreditam que ele dissemine o ódio, a violência e a intolerância. É bem verdade que significativa parcela de eleitores vibra de felicidade a cada exortação belicista de seu líder de extrema direita, mas estes estão pouco se importando com o que fala ou deixa de falar o Santo Padre.


Imaginemos, por absurdo, a hipótese de uma declaração internacional aos católicos brasileiros, para que fomentem ofensas, mentiras, assassinatos e espancamentos. E, para evitar mal-entendidos, em lugar de se invocar a figura da Padroeira do Brasil, o Papa dissesse estar rezando, digamos, para Marte, o deus da guerra na mitologia romana. Como seriam as análises nesse caso? Quiçá, diria que Francisco alinhou-se efetivamente a Bolsonaro? Ou, antes, que fugiu completamente dos princípios e preceitos que norteiam o Cristianismo?


E você, o que pensa a esse respeito? Deixe seu comentário ao final deste artigo, opinando.

 

Valquíria Ferrão Antunes, 26 anos, é criadora de novos jogos de tabuleiro e jornalista free-lancer.



702 visualizações3 comentários