(Re)pensando e (re)conectando

-MARISE COSTA DE SOUZA DUARTE-


LibreShot – Free stock photos

Vivemos em um momento da história da Humanidade onde é preciso reconectar saberes. Buscar outras maneiras de interpretar o que vemos, o que sabemos e o que podemos construir para melhorar o mundo em que vivemos.


Os séculos XVI e XVII (conhecidos como a Era da Revolução Científica e da Modernidade) nos apresentaram uma visão de mundo mecanicista que nos ensinou a pensar de forma fragmentada.


A ideia de um Universo orgânico e vivo foi substituída pela visão do mundo como uma máquina. A Terra deixou de ser vista como Kosmo (um Todo) para ser objeto de dominação e de exploração.


As ideias de unidade, de comunidade e de bens comuns foi rompida, especialmente no Ocidente, para dar lugar ao individualismo e ao acúmulo de bens.

Nesse cenário ocorreram as colonizações, a Revolução Industrial e, mais recentemente, a globalização da economia, das culturas e do mundo.


Houve resultados positivos nesse percurso? Certamente! Mas neste momento especial da História da Humanidade é necessário e urgente questionar essa forma de pensar que nos trouxe até aqui, no Antropoceno, onde o comportamento de uma única espécie (o “ser humano”) vem alterando, de forma nunca antes imaginada, o funcionamento do nosso Planeta; promovendo intensas mudanças globais que podem levar à sexta extinção em massa de espécies.

De caçadores-coletores nos tornamos uma força geofísica global. Os limites ou fronteiras planetárias, expressão usada por renomados cientistas da atualidade, nos mostram que está (total ou parcialmente) comprometida a capacidade de autorregulação e resiliência de vários processos biofísicos do Sistema do Planeta Terra, como no caso das Mudanças Climáticas e da perda da biodiversidade.


A pandemia nos trouxe a (enorme) necessidade de repensar nossas formas de viver e de ver o mundo. Percebemos que a pandemia não é só uma crise sanitária, provocada pela forma indevida da relação do homem com a Natureza. Ela nos mostrou que questões de saúde, ambientais, econômicas, políticas, educacionais e tantas outras estão todas conectadas!


Se vínhamos, já há algum tempo, percebendo a necessidade de reconectar as coisas. Agora isso é mais do que necessário; é urgente!

Marise Costa de Souza Duarte é Professora da UFRN, associada da APRODAB e do IBAP.



59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

RAUL