Conto do Associado do IBAP Rui Guimarães Vianna é selecionado em concurso Literário

- Guilherme Purvin -


Rui Guimarães Vianna é autora do conto "Já raiou a liberdade", um dos 17 finalistas do 1º Concurso de Contos da Revista PUB. Seu conto integra o livro "Brasil 2029: Contos Góticos e Pós Apocalípticos".

Rui Guimarães Vianna, Procurador Aposentado da Caixa Econômica Federal, foi o único contista selecionado para integrar a coletânea "Brasil 2029: Contos Góticos e Pós Apocalípticos" e que figura no rol de associados do IBAP. Autor do conto “Já raiou a liberdade”, Rui não é dado a falar muito nas entrevistas. Afirma que ficou sabendo do concurso pelo site da Revista PUB – Diálogos Interdisciplinares.

Pergunto em que medida os autores de ficção científica contribuíram para o aperfeiçoamento da democracia. Rui responde: "A ficção é uma busca da realidade. Seja pelo exagero, seja pela idealização do real". Se acredita em "literatura politicamente engajada"? Novamente o autor é lacônico: "Acredito em literatura".

Se ele sabe o que são Advogados Públicos? Evidentemente, pois foi um deles. Rui afirma que a situação de abandono e desmonte da Advocacia Pública contribuiu decisivamente para a deterioração das instituições no país e acrescenta: "O envolvimento de instituições contaminadas por todo tipo de vícios, como corporativismo, conservadorismo e reacionarismo, interesses pessoais e carreirismo, levaram a um cenário de instabilidade e comprometimento da normalidade institucional que retiraram a representatividade de todos os processos políticos, legislativos, minando as instituições e jogando a sociedade no caos".


Já raiou a liberdade


Rui Guimarães Vianna


Porto Alegre/RS — 29 de novembro de 2019

Da janela em ruínas, ele observa o movimento na Rua dos Andradas. Movimento pouco, assustado, pessoas que transitam furtivamente, amoldando-se aos muros, virando sombras. Ali, onde recentemente se abrigara a Casa de Cultura Mario Quintana, agora serve de abrigo precário a marginais, desocupados (muitos), drogados e vários outros deserdados da Nova Ordem. Potenciais vítimas, parceiros de infortúnio, pessoas vazias de significado. Esses são seus alvos. Seus olhos movimentam-se frenéticos na obscuridade, ouvidos direcionados para os menores ruídos em seu redor. O gosto adocicado da última pedra se desfaz na boca, já não sente os ouvidos zumbirem. Fissura. Não tem dinheiro nenhum, nem esperança de consegui-lo. À sua volta, destruição, abandono, desespero. Tudo em contraste com a serenidade das águas turvas e escuras do rio Jacuí, esparramando-se preguiçoso a duas quadras dali. “Quem sabe nas docas?” pensou.

“A evolução do quadro de instabilidade institucional nos levará à desintegração acelerada do tecido social.” Declaração do Sr. Governador do Estado, Eduardo Leite, em 15/04/2019. Teria sido assim tão rápido?

“Deveremos escolher entre a manutenção da ordem e dos serviços básicos, ou os gastos em educação, cultura, esportes, etc...” Idem, ibidem, 22/08/2019. Foi.

Agora caminha pela Avenida Sete de Setembro, em direção às docas, sempre olhando para todos os lados, ruídos como marteladas, sombras ameaçadoras.......................

Agende: 23º Congresso Brasileiro de Advocacia Pública - III Diálogos Interdisciplinares Letras & Direito - São Paulo/SP, dias 28 e 29.11.2019, das 9h às 18h. Serão conferidos certificados aos interessados. Leia aqui a programação e inscreva-se através do e-mail secretaria.ibap@gmail.com.

0 visualização

Revista PUB - Diálogos Interdisciplinares

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W